quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Da nossa forma particular de lidar com nós mesmos.O nosso quase tem asas ímpares.

Qual seria então o suplício para tirar as máculas da loucura quando esta erra ao inscrever-se enquanto amor?
O amor é nobre e eu ajoelharia-me se assim o fosse.Não tenho paciência para a perversidade se não for dourada a flecha.Por isso meu desprezo e por isso minha maldição.Por isso meu rancor e por isso tua carne sangra agora.
É saliva em teu rosto.Quero que você saiba como é sentir nojo, esta repulsa que tira o sono.
.......................*......................

Nenhum comentário: